Três Mosqueteiros

Minha Vida com os Trigêmeos

Cyberbullying materno – Não!!!

Parir e criar um filho de cada vez é bem diferente de parir e criar dois ou mais. Quando se tem uma escadinha, a experiência que tivemos com um serve para melhorar e facilitar a vida com o outro. Mas quando chega uma ninhada, temos que conviver com o improviso, com a falta de braços, de tempo, ou seja, fazemos o que dá.

E não tem jeito, algumas coisas são mesmo muito diferentes em casas de múltiplos. Não dá para fazermos tudo como gostaríamos de fazer e por isso às vezes podemos nos sentir frustradas. Até aí tudo bem.  Mas o pior é que como não dá pra fazer tudo do jeito que outros dizem que tem que ser, podemos nos sentir discriminadas e até mesmo incapazes, colocando em dúvida nossa própria capacidade de maternagem.

Então, não seria exagero dizer que pais e mães de múltiplos são alvo fácil de bullying, principalmente de cyberbullying.

Veja alguns exemplos de como eu poderia ser uma vítima das mães perfeitas que vem ditando regras por aí.

Mãe que mãe sabe tudo e procura e acha tudo relacionado ao assunto gravidez na internet

Durante a gravidez evitava procurar assuntos relacionados na internet. O máximo que eu me permitia ler eram informações sobre como os meus bebês estariam se desenvolvendo semana a semana, só. Isso contribuiu muito para que a minha gravidez fosse super tranqüila;

 O parto tem que ser normal (humanizado!)

Os meninos nasceram de cesárea. O médico, durante o pré-natal até cogitou parto normal. Até hoje não sei se ele estava brincando ou se era sério. Então, fui, sem dó nem culpa, para a cesárea;

Assim que o bebê nasce ele tem que ir para o colo da mãe, porque sentir o cheiro e o calor da mãe logo ao nascer aumenta o vínculo entre o bebê e a mãe

Não tive meus bebês no colo quando nasceram. Mal vi seus rostinhos sujos e seus corpinhos estavam embrulhados por um pano azul. Só fui ver e tocar nos bebês no dia seguinte ao parto. Só fui autorizada a pegar meus bebês no colo dias depois. Eles não sentiram meu cheiro, nem meu calor logo após nascerem;

É óbvio que todo mundo que vai parir precisa de uma doula!

Doula??? Até um tempinho atrás eu nem sabia o que era;

Mãe que é mãe cuida de todos os detalhes da chegada do bebê, não delega, decide e escolhe tudo sozinha, do seu jeito. E, ah!, vai para Miami fazer compras.

O enxoval? Participei de algumas escolhas. Minha mãe e minha sogra se encarregaram do grosso. Nunca tinha tido filhos, não tinha a menor idéia do que os bebês precisariam. Entre o google a as vovós, optei pelas segundas. Foi perfeito. Mesmo assim, se eu tivesse outro filho hoje, o enxoval seria 50% menor, mais prático e mais barato;

Mãe modernas e antenadas slingam por aí.

Quando os meninos nasceram, eu nem sabia o que era sling. E se soubesse? Um na frente, o outro atrás… e o terceiro? Ou então, 24 horas com o sling pendurado, revesando os passageiros;

Para aumentar o vínculo e relaxar mamãe e bebê, você tem que fazer shantala

Também não fazia massagens com óleos nos bebês, pois não dava tempo. Já me senti culpada por isso. Mas a culpa foi embora quando me dei conta que a falta de tempo e de braços (só tenho 2!) não diminui os abraços, carinhos, beijinhos, e cheirinhos nos pequenos;

A amamentação tem que ser exclusiva até os seis meses e deve continuar até os dois anos.

Amamentei por pouco mais de um mês. Algumas vezes, amamentei dois ao mesmo tempo, quase sempre para fotos! Graças a Deus os meninos eram gulosíssimos. Tomaram leite em pó e são ultrasaudáveis;

Mãe que é mãe, não deixa o filho com babá. Quem tem babá é porque quer se livrar das obrigações de educar o filho. Se você ama mesmo seu filho, sentirá ciúmes e não vai querer que ninguém cuide dele. As mães de hoje, quando podem, estão deixando de trabalhar para ficar em casa com o bebê.

Desde que nasceram, muitas pessoas pegavam meus bebês no colo e cuidavam deles. Tiveram babás desde sempre. Nunca tive ciúmes, nem tinha calafrios quando alguém os pegava no colo. Voltei ao trabalho quando eles tinham quase dois meses. Tenho trabalhado como nunca e sentido uma culpa absurda. Mas que sei que também sentiria se abandonasse, mesmo só por um tempo, o meu trabalho.

A água do banho tem que ser fervida e a banheira esterilizada

Nunca fervemos água para o banho deles. E, já maiorzinhos, antes de usarem o chuveiro, muitas vezes quase sempre tomavam banho juntos na mesma água;

 O bebê deve ir ao dentista assim que nasce e sua gengiva deve ser limpa com gase umidecida depois de cada mamada

Meus filhos, ainda não foram ao dentista e pouquíssimas duas vezes passei gase enrolada no meu indicador na gengivinha deles;

 Você tem que ser ecologicamente correta e usar fraldas de pano. Há umas modernas e caras que são ótimas!

Meus três nunca usaram fralda de pano, por mais bonitinhas que fossem. De um lado, a fralda e de outro, a água, o sabão, o amaciante e as Marias para lavar tanto pano;

Bebês têm que começar aulas de natação com seis meses.

Meus filhos não fizeram natação ainda;

Em nome da música clássica que você escutou durante a gravidez e dos Baby Einsteins e afins, você deve  evitar que seu filho assista TV que não seja paga, escute sertaneja, dance rebolation e cante “não vou não, quero não, posso não…”

Meus filhos escutaram músicas clássicas e assitiram muito Baby Einstein. Mas também assistem TV, inclusive novelas e noticiários da tv aberta. Escutam Galinha Pintadinha e conhecem TODOS os dvds da Xuxa, abominada pelas mães perfeitas;

Se seu filho faz birra, a culpa é sua. Filho de psicóloga é exemplo de bom comportamento e criança educada é aquela que não atrapalha, que não incomoda, que não interrompe, que não pede,não brinca, não se mexe…

E não respira, né?! Os mosqueteiros fazem birra e brigam, gritam, brincam com a comida e fazem todos os etcs que crianças na idade deles fazem também. Eles estão aprendendo e graças a Deus são saudáveis e inteligentes. Estou tranqüila quanto a educação que eles têm recebido;

Você tem que dar ao seu filho somente alimentos orgânicos. Além disso você tem que manter seu filho longe de açúcar e fritura até os dois anos.

Adoram batata frita! Comem moderadamente chocolate, cachorro quente, pizza, nuggets e outros congelados, jujuba, pirulito, pipoca, algodão doce, sorvete e tudo mais que engorda e não é saudável;

Mamadeira e chupeta devem ser retiradas por volta dos 12 meses.

Os três, com 2 anos e sete meses, ainda tomam madeira antes de dormir;

 

E aí, somos piores do que alguém? Claro que não!

Posso ser uma idiota por escrever coisinhas óbvias como o fato de que eles fazem birras, mas é necessário.  Tem muita mãe precisando ouvir histórias reais e sobre como as coisas realmente acontecem. Alguns blogs são verdadeiros comerciais de margarina, com filhos fofinhos, pais perfeitos e famílias que vivem num mundo cor de rosa onde tudo é fácil, o que faz com que algumas mamães seguidoras, já fragilizadas pelo próprio momento da maternidade se sintam diminuídas.

Cada família é única e tem o seu jeitinho. Se funcionou com alguém, não quer dizer que vai funcionar com você. O importante é fazer o melhor quanto você é capaz e da melhor maneira possível.  Aprenda com as experiências de quem já passou por situações semelhantes, mas não se compare, não se sinta mal por ser diferente.

2 Comentários»

  Patrícia wrote @

Você está de parabéns. É bom ver uma psicóloga falando as coisas que vc escreveu nesse post. Sou mãe de gêmeos, um pouquinho mais velhos que seus tri (são de novembro/2007) e posso dizer que passei por um pesadelo traumático quando eles nasceram. Tudo por conta de um hospital que se auto-denomina “amigo da criança”. Isso significa que quando o bebê nasce (no meu caso, os bebês!), eles enfiam a criança na pobre mãe (que acabou de fazer uma cesárea) e ela que se vire até o terceiro dia no hospital. Se vire dando de mamar, trocando bebê, embalando bebê… Eles no máximo dão o banho, aparecem uma vez ao dia e dizem mais uma vez: Dane-se aí! Eu não tinha leite, e não tive NUNCA! E eles me torturaram, a mim e às crianças que morreram de fome por 3 dias. Não deram uma gota de leite no copinho para meus filhos. Em contrapartida, meu primeiro filho nasceu num hospital realmente humanizado (Cruz Azul de São Paulo) e foi maravilhoso. Foi cesárea também e eles cuidaram de mim e do meu filho. Meu filho mais velho não pegou o peito nunca, pois ele tinha deficiências que só descobrimos depois, e ele tomou leite no copinho, lá na Cruz Azul. Era lindo, e o danadinho tomava tudo! Não houve cuidados comigo quando meus gêmeos nasceram, e isso me abalou muito na época, fui maltratada e sofri esse bullying a que vc se refere. Meus filhos acabaram de sair da mamadeira (com 3 anos e meio) e eu adorei dar mamadeira pra eles até então. Eles chuparam chupeta até os 3. Fazem birra, e são maravilhosos. Não ao bullying materno!

  Ana Claudia de Moura Becker wrote @

Oi Chris, saudades! Vc está sumida mesmo, eu tb rs…daqui a pouco vai fazer um ano q vc comentou nele.
Que texto ótimo! Apoiada. O importante é saber o que é bom para nos e irmos atrás disso, fazermos o que conseguirmos numa boa e nos valorizarmos, imprescindível.

E até selinho vc publicou, q legal! As aventuras do 3 mosqueteiros estão ficando cada vez mais apimentadas conforme crescem, que maravilha.

bjs em vc, Oscar e no trio


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: