Três Mosqueteiros

Minha Vida com os Trigêmeos

Arquivo de Mãe que trabalha

As coisas importantes

Esse cartão foi um dos últimos que recebi e está guardado numa caixinha de madeira onde guardo coisas importantes (para ampliar, basta clicar na imagem) Essa semana, ao encontrá-lo, parei para pensar nessas coisas importantes…

*******

São muitas manhãs corridas, sem preguicinha da família toda amontoada na nossa cama, sem café da manhã à mesa, muitas noites sem jantarmos juntos, sem brincarmos, muitas idas ao judô sem a mamãe… Algumas vezes vocês vão dormir sem meus beijinhos de boa noite e algumas vezes vocês precisam esperar que eu tenha tempo para conversar…

Mas saibam, meninos, que não há uma manhã que eu não queira estar com vocês, não há um minuto em que eu não queira ficar grudada a vocês o tempo todo e pra sempre, não há uma noite em que eu não dê um beijinho e um cheirinho em cada um de vocês e não há um momento desses em que eu não queira estar em seus sonhos.

Não há nada nesse mundo, nem o trabalho, nem a correria do dia a dia, que possa fazer de mim uma mãe pior ou uma mãe pela metade. Pelo contrário, saibam que corro feito doida para satisfazer meus desejos, minhas próprias necessidades. Saibam que sempre vou procurar ser feliz, plena e realizada, mas não faço isso por egoísmo, por querer deixá-los de lado. Tenho o privilégio de encontrar sentido nos meus trabalhos, sei que com eles transformo as pessoas em pessoas melhores e assim cuido do nosso mundo. Então, assim me sinto uma pessoa melhor e é também por isso que consigo estar inteira com vocês. É por isso que me sinto viva e capaz de ser a melhor mãe. Não a melhor mãe do universo porque isso não existe, mas a melhor mãe que eu posso ser.

Amo muito vocês.

*******

Este post estava privado há cerca de um mês. Pra mim, bastava que os meus 4 rapazes entendessem, até que li esse post da Ju e decidi publicá-lo porque sei que pode ajudar algumas mamães atormentadas pelo monstro da culpa.

isimples, simplíssimo!

Engraçado como as coisas parecem tão simples (beeeem simples) quando acontecem com os outros. Aquela moça da propaganda do banco, por exemplo, toda linda, organizada, bem humorada, cheia da grana e… mãe de trigêmeos!

Tô falando daquele comercial de um banco em que o vídeo destaca alguns serviços  como a biometria para sacar dinheiro sem senha, o pagamento de contas pelo celular e o conceito de agências de shoppings, que ficam abertas até as 20h.

Primeiro aparece a moça na casa dela pagando contas com o celular enquanto dá comida para os seus tri. Tudo bem, facinho, mas só um bebê come.

Depois, ela usa o caixa eletrônico e faz um saque segurando um bebê no colo enquanto os outros dois estão quietinhos no carrinho triplo. Ok, sem usar cartão é realmente bem mais fácil (já contei aqui a história de quando o Joaquim enfiou um cartão meu no buraco do CD do carro, e comparei, na época, justamente com o sistema biométrico que estava sendo instalado na portaria do prédio onde tenho consultório). Mas que bom seria se todos os bancos fossem assim, sem filas, sem gente entrando e saindo e pedindo licença para se mover num espaço pequeno (também já falei aqui sobre as desvantagens de um carrinho pra triplets). Tem até uma bicicleta no caixa eletrônico! É, acho que é dela. Se bem que ela não parece estar com as pernas cansadas pois até usa uma delas para embalar o carrinho que é leve, levinho levinho.

O carrinho também me chamou a atenção quando eles aparecem entrando na agência. Me digam aonde tem agências assim, com uma porta dessas, que fica aberta e por onde passam com folga a mãe e o carrinho triplo!

Mas até que os criadores do material foram realistas ao mostrarem o pai dos tri, que só aparece depois de um longo dia de trabalho quando as crianças já estão dormindo, depois das 20h, claro, porque nesse horário a moça estava com os bebês NO BANCO!

Realidade pura também a mãe multitarefas, que dá conta de um monte de coisas ao mesmo tempo e ainda TEM que ser linda, feliz, inteligente, rica, magra, “do lar” e esposa perfeita – iguaaaalzinho a mim!

E os bebês, tadinhos, que já têm que dividir a mãe entre eles ainda têm que esperar a mãe pagar uma conta entre uma colherada e outra e frequentar bancos. Triste realidade. Tudo isso para gente economizar o nosso tempo… não, algo me incomoda, pra mim ainda não tá legal. E pra vocês, tudo bem essa rotina doida e essa maneira moderna de ser mãe?

*******

Que fique claro, não tenho nada contra o comercial, nem contra o banco. O vídeo ficou lindo, retrata a nossa realidade e ressalta os serviços oferecidos pelo banco, porém, decidi não inserir no post  o vídeo do comercial, não citar o nome do banco, nem o da agência de propaganda.

E viva o Dia do Trabalho!

ant trabalhando1

ant trabalhando2

Um dos melhores feriados do ano é, sem dúvida, o dia do trabalho. Já não faz aquele calor danado, não chove, o dia fica lindo com um céu azul maravilhoso, ventinho no fim da tarde e um friozinho gostoso à noite. E quando tudo isso vem num feriado em plena quarta, melhor ainda!

Mas vamos ao que interessa: o “trabalho infantil” aqui de casa. Os meninos ajudam como podem. Levam o lixo para a lixeira da rua, ajudam a guardar a roupa, até fazem bolinhas de meia!, sem falar no cumprimento das obrigações de sempre como guardar os brinquedos, limpar o que sujar, arrumar a escrivaninha deles. São uns lindos! Mas é óbvio que não nasceram assim, a gente  ensina e incentiva desde sempre (e nada tem a ver com a PEC das Domésticas, heim, minha gente… e nem com o TOC da mãe!).

E por falar em obrigações, aí vai o texto de um quadrinho que temos na cozinha para quem quiser copiar e assim manter a casa em ordem.

REGRAS DA CASA
1- A mamãe manda aqui
2- Se sujar, lave
3- se molhar, enxugue
4- Se esvaziar, encha
5- Se abrir, feche
6- se ligar, desligue
7- se desarrumar, arrume
8- Se acender, apague
9- se usar, guarde
10- se tiver alguma dúvida, volte para o item 1!

*******

As fotos aí de cima são do Antônio ajudando o vovô a varrer o gramado. Vovô varria e Antônio enchia o carrinho com as folhas. Como ele foi recompensado pelo trabalho? Dessa vez, com beijinhos, elogios e bolo de fubá! Ah, e principalmente pela diversão de sair empurrando o carrinho de mão por aí…

Só pra descontrair

Pobre mãe que lê o jornal do dia às 23:45…

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/quadrinhos/50960-niquel-nausea.shtml

Somos todas Maris

Pausa nos posts sobre os meninos. O que eu quero agora é compartilhar com vocês (é pra isso que a gente tá aqui, né?) esse texto incrível que, apesar de ter sido publicado há uma semana, só agora pude ler.

Leiam, se inspirem e sejam felizes de verdade, não só como mães, que é pouco!

Aqui está o (Anti)Post confessional de Dia das Mães por Mari Zanotto (não a conheço, mas curto muito algumas coisas que essa moça fala).

Atenção especial à analogia no final… perfeita!

Porque hoje é sexta!

Bom fim de semana!!!

*******

O quadrinho veio daqui.

E o ano começa amanhã!

Finalmente, amanhã, segunda pós-carnaval, o ano começa de fato. E como sou tento ser toda certinha, tenho aqui minha listinha mental de planos para 2012.

É engraçado como a lista de afazeres da semana é infinitamente maior do que a lista do ano. Normal, na lista da semana há coisas pequenininhas a fazer como preparar 239 aulas, atender 417 clientes, buscar roupa na lavanderia, consertar a porta do armário do quarto dos meninos, fazer a tal mamografia,  fazer compras no atacado, fazer mais compras no outro supermercado, unha e cabelo marcados para sexta, devolver os livros na biblioteca, comprar os produtos que o jardineiro pediu, etc. Já na lista do ano, estão as metas mais amplas e mais difíceis de serem alcançadas, e fico feliz, muito feliz, por ter mais 10 meses até a linha de chegada. 

Hoje, me peguei pensando sobre a segunda que estava tããão longe e já é amanhã! Amanhã!!! Bom, não vou comentar as minhas metas para 2012, afinal são minhas. Mas quero registrar que elas existem! Ahá! Acho que, depois de três anos, as coisas estão voltando ao normal e é isso que eu estou adorando. Todo mundo pode imaginar, mas só quem múltiplos ou escadinhas sabe do que estou falando.

Agora, só preciso dormir (será que coloco “dormir mais” como meta? Merecia entrar na lista, sim), pois amanhã, segunda, começo o ano com uma super tarefa agendada há tempos: separar os 582 carrinhos de controle remoto daqui de casa e organizá-los, trocar pilhas, ver quem controla o quê e separar e dar os que não servem mais. Ou será que terei que passar esse afazer da lista semanal para a lista anual??? E a porta do armário? Viiixe…

Já passa das onze, os homens dormem tranquilamente enquanto cai um dilúvio e eu aproveito o clima para visitar blogs queridos, “só mais esse e vou dormir…” – já repeti isso umas 625 vezes. O lance é que depois que a gente vira mãe a gente tem que aprender a fazer-dar-tempo. Acho que estou aprendendo, quem sabe um dia fico craque. Claro que vivo cansada, escondendo as olheiras e com os fios brancos pedindo uma tinta, mas tem dado certo. E o melhor, está valendo a pena! Basta olhar para as crianças para ver que está tudo bem, que podemos continuar assim.

Só que para continuar dando certo, preciso dormir* e antes, (sim, sempre dá tempo disso) vou lá cobrir meus pequenos, dar um cheirinho em cada um, entrar debaixo das cobertas, dar beijinho no marido. Só depois desses abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim é que posso sonhar sossegada com as metas cumpridas (as curtas e as compridas!).

É isso. Depois eu volto pra contar quantos carrinhos foram pro ferro velho, tá?

—————

* anos e anos de balada e só fui aprender que não dá pra ficar sem dormir depois que virei mãe. Nosso sono sempre é prejudicado, mesmo quando as crianças dormem pesado a noite inteira, sempre sobra alguma coisa pra fazer e acabamos dormindo menos do que deveríamos…

%d blogueiros gostam disto: